domingo, 22 de junho de 2008

video

Indo para Campina Grande. Eu dizendo: "Namorado, sorria!" e ele: "Namorada, eu estou dirigindo"
A paisagem
Pronta para a balada
Namorado, ô caba gato!
Rômulo e Dayse. Nosso "casal amigo", indo para o Parque do Povo.


Indo para o parque do Povo


Natalício e Rômulo jogando vídeo game


Natalício almoçando



Ele ficou gaterrimo nessa foto, eu sei! Essa foto foi na volta do show de magníficos.



Rômulo lá atrás. E a gente, sorridente.

Natalício conversando




Fotos da nossa filmagem, hehehehee.



Na hora do café, sanduíche com dupla camada de queijo e uma de mortadela




Depois que eu mandei o namorado sorrir.
Diferente das pessoas normais, minha covinha quando sorrio é acima da bochecha já perto do olho, isso que vocês acham que é uma espinha, acharam?


Eu "poser" já indo embora

Tentei postar os vídeos aqui e não consegui, então procurem em www.youtube/danyellearaujo, minha página de vídeos no youtube. O vídeo sem nada, a câmera o salva num formado *mov, que é um formato que o MOVIE MAKER não lê, então, postei nesse formato mas vou tentar baixar outro programa para clarear a foto e colocar uma legendinha, sei lá. Agora que descobri as vantagens dos vídeos no blog pretendo postar mais vídeos, posto no youtube e jogo aqui. Por favor, blogspot, colabore comigo! É até mais divertido. Esse vídeo me fez perceber umas coisas engraçadas, eu falo fazendo caretas (horrível!!!) e tem uma hora que eu noto que minha unha está feia e a escondo (hehehehe)


Ah! O blog fica mais pesado com os vídeos, por isso, paciência.


PRIMEIRO ASSUNTO:


Aos poucos começo a me sentir em casa com a família dele. Ontem fui comer purê de macaxeira, adoro!, e brinquei me despedi simpaticamente da família dele. Coisas que antes não fazia. Eu não sei se já comentei nesse blog, mas eu tenho um certo problema em tocar as pessoas, cumplimentá-las, ser cordial. Não sou o tipo que faz cafuné nas pessoas, que fica beijando os amigos... Eu abraço, mas isso já é uma evolução, os amigos, mas só! Quer dizer... Hoje, uma moça comprometida, futura noiva, não posso e nem devo abraçar os amigos, somente as amigas.

SEGUNDO ASSUNTO:

São João! A viagem foi tranqüila, tirando fatos pitorescos como um cara vendo um filme pornô no carro ao lado e a batida no carro da frente (que não causou nada), nada demais. Fomos e voltamos sem publicavel estresse. Aos que ainda pretendem ir a Campina Grande de carro uma boa dica: o pit-stop básico para comer tapioca no Cajá - Não perde para aquela famosa tapioca pessoensse. É muito boa! Ah! A pamonha também. Levem água e prefiram viajar pela manhã, quando o Sol está para trás do carro e não há congestionamento.


Já fui para São João em Araruna, Pombal, Solânea, Bananeiras, outra cidade que não lembro e Campina Grande. Então, se vocês querem encontrar gente bonita e de todo o nordeste, eu recomendo Campina Grande. Tinha gente feia. Mas no mais era muita gente bonita, bem vestida e pouco cordial. Ficamos vendo as placas do carro, a cada três carros de Campina aparecia um de outra cidade.


A cidade de Campina Grande é muito boa. Embora, o trânsito seja louco, os pedestres, sem noção, andam na rua e em alguns lugares necessitam de iluminação e lombadas, há uma ladeira descendo para o bairro de Bondoncogó que você se pegar o embalo desce muito rápido (o taxista que nos levou fez isso) e você vê as crianças brincando no meio fio, pessoas com a cadeira quase na rua e velhinhos atravessando. Ou seja, perigo latente. Na cidade há um misto de "cidade grande" e "cidade pequena", trata-se, na realidade, de uma "cidade média" nela misturam-se ritos de cidade do interior com o crescimento.

Um dia, Campina Grande, chega lá... Achei que ainda falta uma consciência de que a cidade está crescendo, as coisas são bem distântes uma da outra, não há placas suficiente e essa história de onda verde é uma coisa que só funciona em condições perfeitas, os outros carroas a também 40km ou nenhum outro carro na rua.


Um lugar muito bom para almoçar, no bairro de Bondocogó, é o ANEL UNIVERSITÁRIO, concorrente do CENTRO UNIVERSITÁRIO, o famoso CU, hehehehe. A marmita com duas carnes, a mulher foi com a cara do NAMORADO e deu-lhe duas carnes além da permitida, custa R$ 4,50. Comemos melhor do que no dia seguinte (domingo) quando fomos a um restaurante mais carinho, A CABANA, onde a comida era pior e minha refeição deu R$ 7,50. Juro! O ANEL (hehehehe) era mais gostoso do que esse segundo restaurante. Ainda no quesito comida, outra coisa boa que comemos foi o espetinho de galinha e o celebre caldinho, esse por R$ 2,00, no parque do povo.

Por falar em Parque do Povo, a atração principal da sexta era ZÉ RAMALHO, do segundo dia, foi ALCEU VALENÇA (perdi!). Finalmente, a VILA FORRÓ, segundo o advogado que brilha e acontece na sociedade paraibana, a VILLA FORRÓ é o lugar top de Campina, distante de tudo, só dá a nata da nata. Eles podem até dividir os ingressos, mas o caminho é difícil e como vai só a sociedade uma pessoa de outra classe talvez não se sinta tão a vontade. Então, o lugar realmente fica bem selecionado. Não estava cheio, gente muito bonita e um ambiente calmo. O show de Magníficos, desculpem o tradilho, foi magnífico. Tem todo aquele ar de nostálgia do forró das antigas e com algumas músicas atuais, além de tocar aquele famoso "frevo mulher" de Alceu ou Zé (não lembro!). Voltando ao forró das antigas, aquele tipo de forró que havia somente uma "conotação sexual" e não um "sexo explícito" como os de hoje. Músicas que você consegue cantarolá até hoje e que parecem perpetuar através dos tempos. Banda igual somente Mastruz com Leite. Eu, sinceramente, não esperava nada do show. Achei que seriam R$ 25,00 jogados fora, como vocês podem vê no comentário do vídeo. Mas não!



No último dia, tive que ir ao hospital. Esqueci de levar o nebulizador para Campina e tive uma crise asmática muito forte. Procuramos de cabo a rabo uma farmácia que tivesse nebulização (ah! as velhas farmácias!) e não havia nenhuma "- não ao ato médico, Farmacêutico tem que saber aplicar injessão e explicar a prosologia dos medicamentos, toda farmácia tem que ter um farmacêutico formado." Acabamos num péssimo hospital, onde, ficamos uma hora esperando por atendimento, depois, ficamos no mesmo lugar que o pessoal que estava com virose, ou seja, podemos estar infectados.

Mas o que é uma boa viagem sem imprevistos?

Ah! Ganhei um relógio lindo, rosa, com a marca da adidas e uma com uma luzinha top! Para me amostrar, quando estávamos voltando para casa eu ficava acendendo a luz do relógio e dizendo a ele: "Você quer saber a hora?", "Quer que eu ajude a clarear a estrada", "Vou colocar a mão aqui" (naquele negócio perto do vidro do carona que o pessoa chama, vulgarmente, de "eita por**").




P.S. Caso me encontrem na rua, lembrem-se de perguntar a hora. Eu acenderei a luzinha e direi a hora, acho até que irei agradecer, obrigada!

P.S.2. Caso não consigam vê os vídeos nesse blog estou colocando no www.youtube.com/danyellearaujo ou procurem por evangelista ou márcia e natalício, certo? Beijos!

P.S.3. As fotos do relógio, igual ao meu, eu peguei no mercadolivre.com, onde meu relógio custa R$ 60,00 mas é de segunda mão.


Nenhum comentário: